Escola de Governo e Gestão Municipal

Atualização de protocolos de classificação de risco é tema de treinamento no hospital Socorrão I

23/11/2021 16h23 - Atualizada em 26/11/2021 08h51
Secom

Profissionais do Hospital Djalma Marques (Socorrão I), que integra a rede de saúde da Prefeitura de São Luís, participam de treinamento sobre acolhimento para atualização de protocolos de classificação de riscos de pacientes. O objetivo do trabalho, que ocorre nesta terça-feira (23) e quarta-feira (24), é capacitar os servidores sobre procedimentos usados nos principais hospitais do mundo quanto ao atendimento nas áreas de urgência e emergência. 

A meta é, além de otimizar a recuperação do paciente, diminuir o tempo de permanência na rede de urgência e emergência, dando mais fluidez à estrutura de suporte municipal. Na capacitação estão sendo abordados critérios clínicos com base em relatos dos pacientes e acompanhantes e visuais para a definição do grau de risco de morte do paciente. Dentre os fatores a serem observados sempre, estão frequência cardíaca, procedimentos de toque e observação e outros aspectos. 

As enfermeiras do Socorrão I, Niedja Fonseca da Silva Guedes e Fabiana Costa Hassanen, foram as responsáveis por ministrar o treinamento. Elas estiveram recentemente em Vitória (ES) onde participaram de um curso sobre classificação dos pacientes com base nos protocolos de Manchester (ING). Estiveram presentes na abertura dos trabalhos, no auditório do Socorrão I, o diretor-geral do hospital, Artur Serra Neto e a diretora administrativa financeira do Socorrão I, Esther Moura Leopoldino.

Em São Luís, no Hospital Socorrão I, protocolo de classificação de paciente com base nos critérios de Manchester é adotado desde 2011, com sucessivas atualizações. Além do Socorrão I, o Hospital Clementino Moura (Socorrão II) também adota procedimentos de classificação mundial para a assistência médica interna. 

Para o secretário de Saúde de São Luís, Joel Nunes, a adoção de procedimentos internacionais para o acolhimento de pacientes nas redes de urgência e emergência, além de reduzir a demanda nestes pontos de referência, posiciona a capital maranhense no segmento de saúde como referência na assistência aos pacientes. 

“Nos últimos meses, a gestão do prefeito Eduardo Braide registra resultados significados quanto a avanços no atendimento na nossa rede de atendimento de urgência e emergência, que apresenta, em tese, casos de pacientes mais graves. Além de queda nas taxas de permanência, de índices de ocupação, avançamos quanto ao tempo de registro de internação, a partir de procedimentos técnicos e qualificação de nossos profissionais”, afirmou.

De acordo com Niedja Fonseca da Silva Guedes, o compartilhamento de informações acerca de um tema tão importante acerca da assistência de pacientes é fundamental para a rotina do Socorrão I. “Para nós, servidores, é sempre importante sermos construtores de boas ações e responsáveis pelo compartilhamento de informações como estas, tão fundamentais”, disse. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS